• Pesquisar
  • Esqueceu sua senha?

ADPF pelo Brasil

2019 também foi ano de eleição em todas as diretorias regionais da ADPF. Fizemos um giro nos estados para ouvir os eleitos e/ou reeleitos para o próximo biênio dezembro/2019 a dezembro/2021: 

Rony José Silva – ADPF-BA 

“Ser representante dos delegados como diretor da ADPF é uma das tarefas mais nobres que um delegado de Polícia Federal pode almejar”

Ser representante dos delegados como diretor da ADPF é uma das tarefas mais nobres que um delegado de Polícia Federal pode almejar. É uma função de extrema responsabilidade e que tem potencial de mudar a PF, estruturalmente e, principalmente, os rumos da classe dos delegados. Então, por tudo isso, e atendendo aos pedidos dos colegas no estado da Bahia, decidi me colocar à disposição para colaborar e conseguir interferir de forma positiva nesses temas. Creio que estou conseguindo obter êxito nessa missão, pois fui novamente eleito para mais dois anos e estou muito feliz. Um dos principais desafios ao assumir a ADPF-BA foi resgatar os delegados aposentados para o convívio junto aos colegas da ativa. Para isso, foram criados grupos de mensagens e a iniciativa foi muito positiva. Hoje, temos um excelente engajamento entre todos. E isso me orgulha muito. Agora, temos os desafios de conseguir que a administração da Polícia Federal e o Ministério da Justiça e Segurança Pública entendam que as pautas da remuneração do sobreaviso e das diárias sejam resolvidas o mais rapidamente possível, haja vista essas duas demandas estarem afetando sobremaneira os delegados do estado, pelas características que temos aqui. Esperamos sensibilizar o diretor-geral e o ministro Sérgio Moro a, efetivamente, resolverem esses e outros temas urgentes. Em colaboração com a presidência da ADPF, os planos para o próximo biênio consistem em planejar e coordenar o Congresso Nacional dos Delegados de Polícia Federal e reunir a classe com a produção, ao final, de material que subsidie a associação nos assuntos da segurança pública e possibilite, ainda, aos colegas estarem reunidos no maior encontro da classe. Será uma honra e um prazer entregar esse evento e ter consolidada a posição da classe ao final desse evento.  E vamos continuar a defender os interesses da classe junto ao governo e ao Congresso Nacional.

Esmeralda Aparecida de Oliveira e Silva – ADPF-GO 

“A ADPF tem sido a principal instituição a defender os delegados da PF e a Polícia Federal”

Resolvi concorrer à vaga de diretora regional para estender a brilhante gestão nacional da ADPF no estado de Goiás. Isso porque a ADPF tem sido a principal instituição a defender os delegados da PF e a Polícia Federal contra os mais diversos ataques e interesses não republicanos. No estado de Goiás, entendo como desafios a própria agregação dos associados nas lutas em defesa dos interesses dos delegados, somada ao trabalho junto aos parlamentares, tanto para defender matérias que venham a beneficiar a sociedade e a segurança pública, como para esclarecer acerca das entrelinhas de diversas propostas legislativas que se apresentam como melhorias para a segurança pública, mas tratam-se apenas de interesses particulares de instituições. Para o próximo biênio, pretendemos trabalhar avançando nas pautas que são bandeiras da ADPF e, quem sabe, implementar alguns dos projetos de discussão e divulgação do combate à corrupção e autonomia da Polícia Federal no estado de Goiás.

Luis André Lima Almeida – ADPF-MA

“Vamos continuar as gestões junto aos diversos níveis da PF para aumentar o efetivo de delegados no Maranhão e colaborar com a Nacional na agenda de pautas complexas”

Decidi concorrer a mais um biênio à frente da Diretoria Regional no Maranhão para continuar as gestões junto aos diversos níveis da PF, com vista a melhorar o quantitativo de DPFs no estado, bem como colaborar com a Nacional na agenda de pautas complexas, sobretudo as legislativas, envolvendo temas como, autonomia da PF, nova previdência, regulamentação do sobreaviso, recomposição dos valores das diárias policiais e criação de um sistema de assistência de saúde. Um dos desafios será manter o nível de engajamento dos delegados associados (100% de filiados no estado) nas referidas pautas, mesmo diante de um reduzido quadro de pessoal no Maranhão, que resulta numa das piores razões inquéritos/delegado e de acúmulo de trabalho do País. Para o próximo biênio, pretendemos manter o equilíbrio fiscal da Regional; realizar eventos de caráter recreativo em benefício dos associados; celebrar novos convênios e adesão à clubes de benefícios locais; e, realizar o 3º Encontro Regional dos Delegados de Polícia Federal no Maranhão.

Luciana Paiva BarbosaADPF-PB

“O meu objetivo principal é promover a integração e aproximação dos delegados federais aos cidadãos. Espero contar com o apoio e confiança de todos”

Resolvi concorrer à Diretoria Regional da Paraíba para dar continuidade ao trabalho já desenvolvido como vice-diretora da atual gestão. O meu objetivo principal é promover a integração e aproximação dos delegados federais aos cidadãos, conscientizando-os em relação à importância da existência de um corpo técnico à frente da direção das atividades da instituição. Nesse mesmo sentido, entendo ser imprescindível a capacitação através da realização de congressos e cursos de interesse da categoria. Os principais desafios que pretendo enfrentar no estado é o de demonstrar aos delegados que exercem cargos de chefia (DAS) a importância e a necessidade de oferecer um tratamento respeitoso a todos os integrantes da categoria, no sentido de que estes sejam prestigiados e reconhecidos como autoridades, recebendo tratamento superior ou no mínimo igual àquele dispensado aos demais cargos jurídicos. Busco, com isso, evitar o que ocorreu na inauguração da SR/PB, quando os delegados federais foram impedidos de ter acesso ao local de celebração da cerimônia inaugural em detrimento da presença de servidores de outros cargos, inclusive de órgãos externos à PF, independentemente de estes serem os chefes/representantes de suas instituições, não havendo, portanto, justificativa para o tratamento diferenciado. Também pretendo fazer com que se implemente uma estrutura mínima de equipe de investigação, com o objetivo de obter melhor desempenho das atividades de incumbência das respectivas autoridades policiais. Temos como meta, realizar a 3ª etapa da Corrida Contra a Corrupção em João Pessoa; promover palestras sobre saúde do policial ante aos grandes índices de suicídio e depressão constatados na instituição; implementar meios de garantir o aprimoramento dos métodos de investigação e gestão, mantendo a integridade de nossas atribuições em relação às demais instituições que não gozam da atribuição constitucional de polícia judiciária da União deferida unicamente à Polícia Federal. Para alcançar tais objetivos, espero contar com o apoio e confiança de todos.

Fabrício Marinho Fortes – ADPF-PI

“O grande desafio será tentar convencer os parlamentares acerca dos interesses e lutas da ADPF junto ao Congresso Nacional em prol da melhoria das condições de trabalho na Polícia Federal”

Como eu já era o diretor regional e ninguém quis assumir tal função, acabou que sobrou para mim novamente a honra de representar a classe dos delegados de Polícia Federal no estado do Piauí. Acredito que aqui no estado, o grande desafio será tentar convencer os parlamentares acerca dos interesses e lutas da ADPF junto ao Congresso Nacional em prol da melhoria das condições de trabalho na Polícia Federal. Nosso plano é tentar aproximar ainda mais os associados aposentados, bem como tentar viabilizar a primeira Corrida contra a Corrupção em nosso estado.

Erick Ferreira Blatt – ADPF-RJ 

“O fortalecimento das ações da ADPF é que vai contribuir para que a gente tenha um pouco de avanço nas nossas questões, tanto do cargo de delegado, quanto de fortalecimento da própria instituição Polícia Federal”

Estou sendo reconduzido à Diretoria Regional. É o fortalecimento da Associação dos Delegados da Polícia Federal. É o fortalecimento da própria classe. Nesse sentido que eu resolvi dar um pouco de esforço pessoal para tentar motivar os outros colegas aqui do Rio de Janeiro e dos outros estados a tentar ver com mais clareza que o fortalecimento das ações da ADPF é que vai contribuir para que a gente tenha um pouco de avanço nas nossas questões, tanto do cargo de delegado, quanto de fortalecimento da própria instituição Polícia Federal. Os desafios do estado são os mesmos em nível nacional: a conscientização da classe política de que o fortalecimento da Polícia Federal será em benefício da própria população, do próprio País. Os planos para o próximo biênio são o de continuar nesse mesmo sentido de fortalecer a associação no estado, estabelecimento de novos convênios com entidades privadas e parcerias com operadoras, faculdades de direito, cursos e iniciativas que possam beneficiar os delegados da Polícia Federal lotados no Rio de Janeiro. Recentemente, por exemplo, fizemos um convênio com a Caixa, Econômica Federal para estabelecimento de preços mais interessantes de imóveis financiados para os delegados da PF, inclusive, com taxas de juro menores e benefícios exclusivos que vamos passar para outros estados, brevemente. E tivemos contato com o pessoal da Previdência Complementar (Funpresp) para atendimento diferenciado aos delegados no estado. E vamos prosseguir com essas parcerias, convênios e brigas políticas locais.

Tania Fernanda Prado Pereira – ADPF-SP

“No próximo biênio, vamos incentivar mais a participação dos colegas na pauta parlamentar e no cotidiano da associação e estimular aqueles que residem fora da capital paulista a organizarem representações locais”

Estamos indo para o terceiro mandato da chapa Força e Compromisso, zelando pela transparência da nossa gestão e sempre em contato com os colegas filiados. Comecei na atividade classista em 2014, por ocasião do processo legislativo que levou à aprovação da Lei 13.047. Tive grandes exemplos nesta atividade, como o saudoso Dr. Amaury Portugal, Dr. Leôncio, Dr. Sobral, Dr. Paiva, Dr. Rony, Dra. Esmeralda, dentre outros que fizeram e fazem história na ADPF. Temos um grande número de associados no estado de São Paulo, alguns deles fundadores da ADPF. A nossa responsabilidade é grande, pois é o estado com mais deputados federais (70) e a maior superintendência do país, com 15 delegacias descentralizadas, três aeroportos e um crescente número de demandas. Buscamos unir os colegas nas confraternizações, incentivar aqueles que residem fora da capital paulista a organizarem representações locais. No próximo biênio, vamos incentivar mais a participação dos colegas na pauta parlamentar e no cotidiano da associação, além do que teremos em breve o Congresso da ADPF.

Rodrigo de Melo Teixeira – ADPF-MG

“Buscaremos conscientizar os colegas da necessidade de estarmos mobilizados em razão das mudanças que estão por vir em nível legislativo que podem afetar  prejudicialmente a nossa carreira”

O que me levou a concorrer foi, além do pedido de inúmeros colegas, a necessidade de estarmos mobilizados em razão das mudanças que estão por vir em nível legislativo que podem afetar  prejudicialmente a nossa carreira. Em nosso estado, nosso maior desafio será conscientizar os colegas da importância de todos participarem desta luta contra as medidas que vierem afetar nosso cargo. Vamos trabalhar pela união de toda a classe em prol das causas de nosso interesse.

José Antônio Simões de Oliveira Franco – ADPF-RO

“Pretendemos estabelecer uma conexão mais aproximada com a ADPF Nacional e um contato mais eficiente com os representantes do legislativo federal no estado, o que pode permitir a conscientização destes, para a necessidade de apoio à demandas normativas dos delegados”

Já estou na PF há quase 12 anos e tive experiência como diretor regional na ADPF-MS. Agora, independentemente de estar na função de DAS, DREX/SR/PF/RO, acredito que posso ajudar nas ações da ADPF que resultem no fortalecimento da Polícia Federal e no reconhecimento do cargo de delegado de Polícia Federal. Ademais, em razão do efetivo do estado de Rondônia ser majoritariamente formado por delegados recém ingressados na carreira, acredito que posso auxiliá-los na orientação associativa. O clima organizacional e laborativo da PF no estado de Rondônia é excepcional, de maneira que a relação interna entre os diversos cargos e a interação externa com outras instituições é muito boa. Assim, os principais desafios desta nova gestão é acolher os novos delegados que chegam ao estado e assegurar que suas prerrogativas continuem firmes e em plena observância. Temos como pretensão estabelecer uma conexão mais aproximada com a ADPF Nacional e um contato mais eficiente com os representantes do legislativo federal no estado, o que pode permitir a conscientização destes, para a necessidade de apoio à demandas normativas dos delegados.

Polyana de Medeiros Fernandes Pimenta – ADPF-RN

“Trabalharemos para integrar
todos os associados nas questões  a serem enfrentadas e buscar trazer eventos de conhecimentos jurídicos para essa unidade”

Eu, a Dra. Ohara e o Dr. Clayton nos reunimos e resolvemos montar uma chapa para  poder contribuir com a valorização da carreira de delegados e ajudar a promover eventos e estudos acerca da Polícia Judiciária. A Diretoria do Rio Grande do Norte tem como desafio integrar todos os associados nas questões  a serem enfrentadas e buscar trazer eventos de conhecimentos jurídicos para essa unidade. Um dos principais objetivos da atual gestão é promover um evento jurídico relacionado à polícia judiciária na cidade de Natal e integrar cada vez mais os associados, especialmente, os aposentados.

Marcelo Machado Dias – ADPF-AM

“Uma associação mais forte e coesa representa uma classe mais unida e mais forte pra superar os desafios que virão com essa nova legislatura”

Esta já é a quinta vez que participo da chapa da ADPF-AM. Entretanto, a primeira vez como diretor regional. Acredito que o desafio seja aproximar mais os associados e fazê-los entender que a associação é a entidade responsável pela defesa de nossas prerrogativas. Que uma associação mais forte e coesa representa uma classe mais unida e mais forte pra superar os desafios que virão com essa nova legislatura. Existem muitos projetos de lei que são, a meu ver, prejudiciais para a nossa carreira e, também, prejudicam a persecução penal como um todo. Esses serão os maiores desafios da ADPF. Fazer um trabalho junto ao Congresso Nacional para que essas mudanças sejam positivas para o trabalho policial e, consequentemente, criem mecanismos que possam ajudar na nossa atividade de combate à corrupção.

Fabrício Martins Rocha – ADPF-MS

“Trabalharemos nas convocações da ADPF Nacional em Brasília, tentando sensibilizar o maior número de associados da Regional a participarem no convencimento dos parlamentares nos projetos em questão”

Resolvi concorrer porque não houve voluntários para o exercício da função de diretor regional da ADPF-MS no biênio 2020/2021, havendo a possibilidade da Regional, pela primeira vez, não possuir diretor. Buscar a coalizão da bancada de parlamentares do Mato Grosso do Sul, de caráter pluralista e com viés ideológico – muitas vezes díspares -, nos pleitos referentes à carreira de delegado de Polícia Federal, além de desenvolver um bom trabalho associativo de modo a manter o elevado número de associados da ADPF-MS, estão entre os desafios desta gestão. Vamos trabalhar fortemente junto à bancada federal do MS nos projetos de interesse da carreira. Iremos manter o excelente relacionamento com a Adepol-MS naquilo que for de interesse mútuo. Trabalharemos nas convocações da ADPF Nacional em Brasília, tentando sensibilizar o maior número de associados da Regional a participarem no convencimento dos parlamentares nos projetos em questão. Realizaremos as reformas necessárias na sede da ADPF-MS de modo a bem receber os associados do Mato Grosso do Sul e demais estados. E iremos promover anualmente algum evento regional de interesse da categoria, trazendo palestrantes das diferentes entidades que compõem o sistema criminal brasileiro.

Jorge Luís Fayad Nazário – ADPF-PR

“Nosso desafio será trazer mais associados e conscientizar a classe de que o Diretor Regional é representante do estado e o elo perante a Nacional. Mas, em relação aos desafios que enfrentamos diuturnamente em benefício da classe, é responsabilidade de todos os associados”

Resolvemos concorrer para a Diretoria Regional para manter a continuidade das atividades associativas, em consonância com as diretrizes traçadas pela ADPF Nacional. Nosso desafio será trazer mais associados e conscientizar a classe de que o Diretor Regional é representante do estado e o elo perante a Nacional. Mas, em relação aos desafios que enfrentamos diuturnamente em benefício da classe, é responsabilidade de todos os associados. Temos como planejamento dar continuidade ao que está sendo feito até o momento, buscando enfrentar os desafios do próximo biênio, principalmente, no que concerne às atividades parlamentares.

Bruno Benassuly Maués Pereira – ADPF-PA

Resolvi concorrer para ser o representante da ADPF no estado do Pará por entender que, nos próximos anos, o País passará por transformações importantes e somente a nossa associação tem força para falar em nome dos delegados de Polícia Federal. Nosso desafio é conseguir manter o contato com todos os associados, principalmente os que estão no interior. Como o Pará é o segundo maior estado do País, não é possível estar a todo momento nas delegacias de Santarém, Marabá, Altamira e Redenção. Mas procuramos vencer esta barreira por meio das redes sociais, que ajudam a manter a comunicação constante entre todos. Iremos lutar pelo fortalecimento do cargo de delegado, o que fortalecerá também toda a Polícia Federal.

Josemauro Pinto Nunes – ADPF-RS 

Estou concorrendo a mais um mandato para garantir a representatividade da ADPF no Rio Grande do Sul. Os planos são buscar a filiação de todos os delegados de Polícia Federal aqui lotados.

Deixe sua resposta

Instagram has returned invalid data.
Escrito por maiara

Siga-nos

Proactively formulate resource-leveling imperatives through alternative process improvements.