• Pesquisar
  • Esqueceu sua senha?

Editorial

2019 tem se apresentado como um período de grandes desafios, boas e más notícias, mas, sobretudo, de muito trabalho da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.

A entidade tem se consolidado, cada vez mais, como uma entidade protagonista nos assuntos sobre segurança pública, investigação e justiça criminal.

O ano se iniciou com um dado extremamente positivo: 94% de taxa de resolução de crimes relacionados à corrupção, segundo pesquisa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Prova de que o modelo de investigação brasileiro, do qual a Polícia Federal é exemplo, é extremamente eficaz, e de que as agruras vivenciadas pela população brasileira na segurança pública não têm a ver com este ou aquele modelo, mas, sim, com a combinação de uma série de outros fatores.

E este é o tema de capa da presente edição, que também traz outras notícias importantes para a categoria e para nossos leitores. O leitor irá ter contato com os temas suicídio e depressão, relacionados à atividade policial. Tratam-se de assuntos bastante delicados e que merecem total atenção da sociedade. Além disso, os 75 anos da Polícia Federal não poderiam estar fora desta edição. Bem como importantes aspectos relacionados à  aposentadoria policial, no contexto da tramitação da reforma da Previdência.

Também vamos conhecer o trabalho do delegado federal Luiz Augusto, que ao entrar na Polícia Federal experimentou duas novas paixões: a de servir ao País e a de retratar imagens do dia a dia do trabalho policial, por meio das lentes de uma câmera fotográfica.

Trazemos ainda a história das duas funcionárias mais antigas da ADPF, Fran e Marry. Elas são apaixonadas por nossa associação e, por isso, nos servem com muito zelo.

Além disso, será possível conhecer posicionamentos dos nossos diretores regionais no espaço “ADPF nos estados” e ler depoimentos dos nossos associados na área reservada

para sugestões e críticas “O que é a ADPF para você?”. Leia também sobre a posse de

delegados na Câmara Federal; o pacote anticrime proposto pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro; “Blockchain e a rastreabilidade de cédulas de dinheiro”, no artigo do nosso colega Elmer Coelho Vicenzi; e os benefícios oferecidos pelo nosso setor jurídico.

E tem mais assuntos relevantes: posse/porte de armas; a situação da PEC 412, de autonomia da PF; nosso apoio à produção e ao lançamento de livros sobre a atividade policial, como a obra “Crime.Gov”, dos delegados Márcio Anselmo e Jorge Pontes; o Simpósio Internacional de Segurança; e as corridas contra a corrupção, realizadas ao longo do ano.

Portanto, a todos e a todas, uma ótima leitura.

Edvandir Felix de Paiva

presidente da Associação Nacional de Delegados de Polícia Federal

Deixe sua resposta

Instagram has returned invalid data.
Escrito por maiara

Siga-nos

Proactively formulate resource-leveling imperatives through alternative process improvements.